sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Ignorante é o motorista de ônibus



Ignorante não é a pessoa que prega de forma veemente que o mundo é justo e que quem quer consegue. Como se o filho do Eike Batista ou até mesmo de uma família de “classe média” não tivesse milhares de vezes mais chances de se dar bem na vida comparando com um favelado.
Ignorante não é a pessoa que diz “tá vendo, ele era pobre e se deu bem na vida”, como se transformar exceções em regras fosse honesto.
Ignorante não é a pessoa que pede o fim do Bolsa Família alegando que é um incentivo ao ócio, mas não questiona em nenhum momento o lucro dos bancos e de outros setores que consomem de verdade os recursos públicos.
Ignorante não é quem intitula o PT como um governo de esquerda, mesmo sabendo (ou não) que os bancos, as empreiteiras e outros chefes do capitalismo internacional deitam e rolam de ganhar dinheiro por conta de suas políticas (e você achando que o déficit é por conta dos programas que “beneficiam” os pobres).
Ignorante não é a pessoa que insiste em dizer que liberdade de opinião é a liberdade de ofender a dignidade de quem quer que seja.
Ignorante não é quem assiste a notícia de um protesto no jornal e fica revoltado com os vândalos, como se o vandalismo gerasse mais problemas sociais do que os motivos pelos quais as pessoas saíram às ruas, e como se a reportagem que dá valor apenas aos atos de vandalismo não fosse desonesta.
Ignorante não é quem afirma que o machismo não existe e chega até a dizer que a mulher também tem culpa pelo estupro e que a Fran foi culpada por ter um vídeo íntimo vazado na internet. Como se o ataque à vítima fosse a melhor forma de combater esses absurdos.
Ignorante não é a pessoa que fala em “ditadura gay”, como se a gente vivesse num mundo em que é tranquilo assumir a sexualidade e como se um homossexual não sofresse violência todos os dias, em forma de piadas, olhares ou até mesmo física.
Ignorante não é quem diz que pessoas de classe média não podem ser socialistas, como se a preocupação com o outro fosse um absurdo e uma incoerência sem limites.
Ignorante não é a pessoa que afirma, no auge da sua sabedoria, que na época da ditadura não havia corrupção, como se houvesse algum tipo de liberdade de fiscalização do poder público na época.
Ignorante não é quem diz “sou contra todos os partidos”, mas não sabe que a primeira medida de todas as ditaduras é acabar com todos os partidos.
Ignorante não é quem está extremamente revoltado por que o PS4 é 10 vezes mais caro aqui do que nos EUA, mas nunca contestou os latifúndios do Brasil quando fala em desenvolvimento econômico.
Ignorante não é quem diz que “bandido bom é bandido morto” e defende a democracia ao mesmo tempo, como se o direito de ser julgado e do contraditório não fosse um avanço democrático muito importante.
Ignorante não é quem reclama do trânsito quando está tendo protesto por melhorias no transporte público. Como se o caos no trânsito não fosse gerado, coincidentemente, pela falta de investimentos em transporte coletivo.
Ignorante mesmo são os motoristas da empresa ônibus urbano da minha cidade que correm e freiam bruscamente só porque precisam cumprir horário para não serem penalizados.