segunda-feira, 21 de março de 2011

Não somos Deus, apenas achamos isso

É fato que as catástrofes naturais que acabaram de acontecer no Japão não se devem à interferência humana, pelo menos nada foi provado até o momento. Entretanto, pode-se notar que o poder de destruição da Mãe Natureza é algo assustador e, por essas e outras, o povo moderno que insiste em determinar o que fazer e o que não fazer, deve ter a humildade de se recolher a sua insignificância e agir de forma mais sensata, respeitando os seus limites, enquanto simples habitantes da Terra.

Surge então a questão: e onde está a culpa do homem no que ocorreu?

Evidentemente, os japoneses não são responsáveis pelo que ocorreu e, de forma alguma, o homem se verá livre de todos os males que hão de provir da natureza. O fato é que o nosso costume de consumir, lucrar, devastar e povoar exageradamente e ilimitadamente é fonte de vários danos a saúde e a vida de todos os seres vivos do planeta, inclusive do ser humano.

O que ocorreu no Japão, assim como o que ocorreu na região serrana do Rio de Janeiro, servirá, ao mínimo para mostrar a pequenez do homem perante algumas situações. Por essa razão, uma mudança real de concepção se faz necessária em todos os âmbitos da sociedade mundial, e mais especificamente, da brasileira, a qual ainda está muito atrasada no aspecto da consciência ambiental e do planejamento habitacional.

Caso isso não ocorra, obviamente sofreremos problemas provindos de forma direta e indireta da nossa ganância e da nossa falta de limites, decorrentes de uma ideologia doentia e capitalista. Cabe ressaltar que não estou culpando o homem pelos desastres do Japão. A intenção é apenas mostrar o quanto nós ainda somos menores do que ostentamos ser.

Enfim, sabendo da soberania da natureza, vamos tentar nos resguardar, lembrando que o pior ainda poderá vir. Talvez não para nós, mas sim para os nossos descendentes. A chuva que atrapalhou o Carnaval de muitos esse ano, certamente é muito pouco perto das mazelas naturais as quais ainda temos a possibilidade de presenciar.

Portanto, fiquemos atentos!

sexta-feira, 18 de março de 2011

sábado, 12 de março de 2011

A selva retida através do espelho

O apartamento é mortal
O aprimoramento é total

A superfície calada supervisiona acima da penúltima camada e permanece cansada
A lua apenas é um olho do céu que não vê
Crê?

quinta-feira, 10 de março de 2011